segunda-feira, junho 13, 2005

 

Adeus

Temos o dever de memória para com a nossa história. Goste-se ou não do partido, goste-se ou não da pessoa, Alvaro Cunhal foi sem dúvida uma incontornável figura do panorama político português.
Este blog é plural e quem o escreve é parcial. Tal como o Mocho, também admiro Alvaro Cunhal. Não partilho as suas convicções nem as suas ideologias, mas admiro a energia e determinação no perfil de resistência patriótica que coerentemente veio a traçar ao longo da sua vida.
Por tudo isso aqui fica este post.
Há coincidências estranhas na vida, e entre a morte de Vasco Gonçalves e Alvaro Cunhal comemorou-se o 20º aniversário da adesão de Portugal ao projecto político europeu, curiosamente numa altura em que a construção europeia está periclitante entre o Sim e o Não de um tratado constitucional, capaz de tornar estes tempos de
reflexão para encontrar soluções adequadas à manutenção da união...
Fica a homenagem ao triplo homicidio do tempo dos últimos dias.
Vasco Gonçalves
Alvaro Cunhal
Eugenio de Andrade


"Como se a noite viesse e te levasse,
eu era só fome o que sentia;
digo-te adeus, como se não voltasse
ao país onde o teu corpo principia."

(Eugenio de Andrade"

Comments:
Quando Deus viu os Portugueses no fúneral de Alvaro Cunhal virou-se e começou a chorar convulsivamente...
 
That's a great story. Waiting for more. »
 
Enjoyed a lot! »
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?