domingo, junho 05, 2005

 

A Malta da Turma

O ministério da Justiça aumentou em 35 por cento do ordenado de 35 juízes do mesmo curso do secretário de Estado da Justiça.

O PÚBLICO apurou que o aumento com efeitos retroactivos representa um acréscimo de cerca de dois milhões de euros nas despesas do Ministério da Justiça.

O problema da subida do escalão para o 135 dos 83 juízes, que ingressaram nos tribunais administrativos e fiscais após uma formação de seis meses, é antigo e já foi analisado pelos ex-ministro Celeste Cardona e Aguiar Branco. Durante o mandato deste ultimo, apurou o PÚBLICO, chegou a ser equacionada a subida de escalão mas sem efeitos retroactivos. A ideia acabaria por ser abandonada, devido ao veto do Ministério das Finanças com dois fundamentos: rigor orçamental e por ausência de fundamento legal.
E o défice upa upa!!!!!

Comments:
Deixai-los trabalhar, por favor! :)
 
Aí está outra classe cujos vencimentos e regalias deviam estar ligados à produtividade e ao aumento do PIB (serem penalizados em função da distância para os objectivos), porque é uma classe cujos disparates, abusos, prepotências e crimes são duma natureza tal que influenciam toda a nossa vida... Os próprios objectivos da "produtividade" específica deviam ser consideravelmente aumentados, porque o número de processos existenmtes em tribunal se reduziriam, consideravelmente, se eles (juízes) fizessem, bem, feito, mesmo que apenas metade do que fazem. Nada justifica que um qualquer sector esteja tão mal como está a justiça, a não ser factores endógenos, de falhas generalizadas dos seus profissionais. Este é outro sector, mais um, onde é necessário subir muito, a fasquia e ser implacável, onde lhes doi: nas remunerações e regalias (que actualmente são excessivas e imerecidas).
Por tudo isto, estou em total desacordo com estas concessões de "benesses" sem as correspondentes exigências. Assim, todos sabem o que está mal e como melhorar, mas viram a cara para o lado, porque "ganham o mesmo", ganham demais e não têm dignidade.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?