quinta-feira, junho 02, 2005

 

O NÃO DA HOLANDA

Recebi a noticia, sem surpresa mas com preocupação, do resultado do referendo ao Tratado Constitucional Europeu, (TCE), na Holanda.

Sem surpresa, na medida em que infelizmente, a agenda dos dirigentes politicos, em Portugal como na Europa, não coincide com as preocupações dos cidadãos.

Com preocupação por 3 ordens de razões:

1. É o segundo resultado negativo em menos de uma semana, o que poderá criar um ambiente preocupante relativamente ao TCE e, como tal, contagiar o sentido de voto do eleitorado de outros países, (designadamente em Portugal).

2. Ao contrário do que aconteceu em França, na Holanda não me parece que o eleitorado se tenha motivado, fundamentalmente por razões de politica interna.

3. A Holanda é um país por natureza e por tradição europeista.

É fundamental que os responsáveis europeus reflitam sobre o significado do NÃO holandês e fracês, e tenham a capacidade de suster aquilo que poderá significar um retrocesso grave no processo de construção europeia.

Para um europeísta convicto como é o escriba deste humilde escrito, o resultado holandês é verdadeiramente preocupante.

É importante que todos aqueles que acreditam no processo de construção europeia se esforcem por esclarecer os portugueses, e ajudem a evitar que Portugal cometa o grave erro de votar maioritariamente NÃO ao TCE.

Comments:
O "processo de construção europeia" está inquinado, desde o início, como o está, também, a democracia em todos os países membros. Admirados com o resultado dos referendos? Não sei porquê! Alguém pensará que é possível construir o que quer que seja de costas voltadas para os cidadãos? Começaram a construção europeia pelo telhado, querem o quê? Milagres!? Não há! Ou será que "a solução" era pôr os parlamentares abjectos e reaccionários, a aprovarem o tratado, excluindo os cidadãos e adiando (agravando) este desfecho inevitável? Quem semeia ventos... A democracia é possível, é necessária e é a única "coisa" que pode salvar a sociedade e o mundo como um todo. O que se passa, actualmente, e que os políticos aplicam princípios nazis, pretextando "a qualidade" das opiniões desfavoráveis e tentando impingir-nos isso coimo democracia... As lições a retirar dos resultados de tanta patifaria só agora começaram. Aprendam rápido, porque senão irão pagar um preço ainda mais elevado...
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?