terça-feira, abril 25, 2006

 

Fruta para dormir arquivada!

O Ministério Público não encontrou razões para formular uma acusação contra o presidente do FC Porto e restantes arguidos no caso que envolveu o jogo entre os dragões e o Estrela da Amadora, dirigido por Jacinto Paixão. Todos os arguidos foram ilibados.

Mais uma vez, muita parra e pouca uva!!!

 

Simplex?!

Continuo a preferir Durex!!!!

segunda-feira, abril 24, 2006

 

Simplex?!

Continuo a preferir Durex!!!!!

quinta-feira, abril 20, 2006

 

Portugal quase estagnado num mundo em expansão!

Portugal é, entre as economias classificadas como "avançadas" pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), aquela que piores indicadores económicos deverá apresentar durante este ano.As previsões publicadas ontem no relatório de Primavera pela entidade sedeada em Washington colocam Portugal como o país, entre os 29 mais ricos do mundo, em que a taxa de crescimento económico será menor este ano e, como se não bastasse, o segundo que irá registar maiores desequilíbrios tanto na balança externa como na orçamental. E mesmo ao nível da taxa de desemprego, indicador em que tradicionalmente a comparação internacional era mais favorável, a posição conseguida por Portugal em 2006 é já na metade da tabela com um valor mais elevado.
Mais um choque de realidade!

 

Suflê

O boletim da Primavera do Banco de Portugal, apresentado por Vítor Constâncio, é uma verdadeira desilusão para aqueles que iam embalados na sucessão de «happenings» reformistas do nosso Governo e pelo coro dedicado aos mesmos por parte da comunicação social. Depois de um ano de sacrifícios e reformas, a despesa do Estado subiu, o défice estrutural aumentou e, não fosse o aumento brutal dos impostos que todos sentimos, o descalabro seria ainda maior.

Ontem, graças ao relatório do Banco de Portugal, muitos começaram outra vez a acordar da ilusão do sonho do país tecnológico e renovado!

segunda-feira, abril 17, 2006

 

Esquerda vs. Direita

Das poucas diferença que ainda vai havendo... fica esta!!!!
Segundo dados divulgados pela Direcção-Geral do Orçamento, no âmbito do acordo de divulgação de dados com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a carga fiscal em Portugal - que mede o peso das receitas fiscais e das contribuições efectivas para a Segurança Social no produto interno bruto (PIB) - passou de 34,2% em 2004 para 35,2% em 2005.Esta subida de um ponto percentual no peso dos impostos e contribuições na economia é uma das mais fortes registadas em Portugal.
Nos últimos 20 anos, de acordo com a Comissão Europeia, apenas por quatro vezes a variação anual deste indicador foi idêntica ou superior a um ponto percentual do PIB. A última vez que foi superior foi em 1999, ano em que a carga fiscal portuguesa aumentou 1,1 pontos percentuais do PIB.

quinta-feira, abril 13, 2006

 

Trabalhar cansa!!!!

A vida de deputado é muito difícil!!!!!!
Mais de metade dos deputados - quarenta por cento da maioria socialista e dois terços da bancada do PSD - faltaram às votações de ontem à tarde no Parlamento, inviabilizando-as por falta de quórum.

A maioria estava no entanto no início da sessão, mas terá abandonado o Parlamento após ter assinado o livro de presenças. Não se verificou o quórum de deliberação, que corresponde a mais de metade dos 230 deputados, o que obrigou o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, a encerrar a sessão sem que decorressem as votações agendadas.

De acordo com o secretário da mesa da Assembleia da República Fernando Santos Pereira, deputado social-democrata, sem contar com as 13 ausências por missão ao estrangeiro, faltaram às votações 107 deputados, 50 do PSD, 49 do PS, 5 do CDS-PP, 2 do PCP e um do BE.

Assinaram o livro de presenças quase todos os deputados do PS, 114 em 121, a maioria dos social-democratas, 52 em 75, 10 dos 12 deputados comunistas, 9 dos 12 do CDS-PP, 7 dos 8 parlamentares do BE e os dois deputados de «Os Verdes».

Contudo, no final da sessão estavam presentes apenas 66 socialistas, 21 deputados do PSD, 8 do PCP, 6 do CDS-PP, 7 do BE e dois de «Os Verdes», estando em missão parlamentar ao estrangeiro 6 socialistas, 4 social-democratas, dois deputados comunistas e um democrata-cristão.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?